O desafio da sustentabilidade

Garantir o bem-estar das actuais gerações sem pôr em causa o das gerações futuras. É este lema do modelo de desenvolvimento que compatibiliza o crescimento económico com o progresso social e a salvaguarda do ambiente e dos recursos naturais. No âmbito da minha tese do Mestrado em Cidadania Ambiental e Participação, desenvolvi um trabalho de investigação com elaboração de uma proposta de construção de um Índice Municipal de Desenvolvimento Sustentável. Na escola onde leciono sou responsável pelo programa de "Educação Ambiental para a Sustentabilidade", uma disciplina da oferta de escola, e também pelo programa de Educação Ambiental das AECs.

Desenvolvimento sustentável e agenda 21 local


  • A Agenda 21 Local é um processo participativo, multi-sectorial, através da preparação e implementação de um plano de acção estratégica, de longo prazo, dirigido às questões prioritárias para o desenvolvimento sustentável local. A A21L tem como objectivo o desenvolvimento sustentável de forma integrada dos sectores social, económico e ambiental e permite responder às necessidades dos diferentes agentes económicos e da população, de forma a garantir o equilíbrio, qualidade de vida e o futuro geracional.

Educação Ambiental para a Sustentabilidade


  • Programas de que sou autor, para a disciplina de oferta de escola e as Atividades de Enriquecimento Curricular, no Agrupamento de Escolas onde leciono.
  • Educação Ambiental (AECs)

    Plano curricular e sugestões de atividades para as AECs do Agrupamento de Escolas Prof. Reynaldo dos Santos.

Construção de um índice municipal de desenvolvimento sustentável: o estudo de caso do município de Alenquer


(resumo da dissertação do mestrado)

  • A promoção de um modelo de desenvolvimento sustentável é um compromisso assumido por decisores, organizações sociais e cidadãos em geral. A criação de mecanismos de monitorização e avaliação do desenvolvimento local assume particular importância para a concretização operacional dos princípios subjacentes à sustentabilidade. Este trabalho propõe uma metodologia para a construção de um Índice Municipal de Desenvolvimento Sustentável (IMDS). A metodologia apresentada é aplicada e validada no concelho de Alenquer, distrito de Lisboa. A metodologia apresenta um processo de seleção de um conjunto de 24 indicadores-chave, intercalibráveis e comparáveis com outros municípios, distribuídos homogeneamente pelos principais temas e dimensões do Desenvolvimento Sustentável, e com possibilidades de serem atualizados com dados anuais, provenientes de estatísticas oficiais. Os valores originais para cada indicador foram normalizados e indexados à média dos municípios do continente português. Os valores indexados de cada um dos indicadores foram posteriormente ponderados, sendo que o fator de ponderação foi obtido através da realização de um inquérito sobre a sua relevância, efetuado a diversos agentes locais das áreas económicas, ambientais, sociais e institucionais, considerados atores-chave.Procedeu-se a uma agregação dos valores indexados e ponderados, de modo a possibilitar a concentração de informação em 4 índices temáticos dimensionais. Nesta agregação foi utilizada a média aritmética ponderada. O IMDS obteve-se através da média aritmética dos 4 índices dimensionais. A aplicação feita ao concelho de Alenquer, com valores desde 2004, valida o valor indexado de cada indicador, os índices dimensionais e o IMDS como ferramentas úteis de aferição e de apoio à tomada de decisões, em matéria de políticas locais para promoção do desenvolvimento sustentável. Os resultados revelaram que os pontos fracos em termos de sustentabilidade do concelho estão na área económica e ambiental e que o IMDS de Alenquer é de 82 considerando o valor 100 para a média dos municípios do continente. Esta metodologia poderá ser aplicada qualquer outro concelho de Portugal.

Ligações úteis